EXAME DE SUFICIÊNCIA – CFC – 01/12 – Bacharel – Solução da Questão 06

06. Uma sociedade empresária prestou serviço a outra pessoa jurídica, no valor de R$100.000,00, com incidência de imposto de renda na fonte à alíquota de 1,5%, recuperável, faturado para trinta dias.

Acerca do lançamento contábil na empresa que prestou o serviço, assinale a opção CORRETA.

 a) Débito: Caixa R$98.500,00

Débito: IRRF a Recuperar R$1.500,00

Crédito: Receita com Serviços R$100.000,00

 b) Débito: Caixa R$98.500,00

Débito: Despesas Tributárias R$1.500,00

Crédito: Receita com Serviços R$100.000,00

 c) Débito: Clientes R$98.500,00

Débito: Despesas Tributárias R$1.500,00

Crédito: Receita com Serviços R$100.000,00

 d) Débito: Clientes R$98.500,00

Débito: IRRF a Recuperar R$1.500,00

Crédito: Receita com Serviços R$100.000,00

Resolução:

Bom, talvez a dúvida desta questão esteja no Imposto de Renda retido na fonte. Quando isso acontece o prestador de serviço recebe o valor líquido, ou seja, o valor da receita diminuído do Imposto de Renda, isso porque a responsabilidade do recolhimento do Imposto é de quem contratou o serviço.

A nota fiscal foi emitida como segue:

O valor do Imposto de Renda descontado na Nota Fiscal, passa a ser um direito de compensação para o prestador de serviço, ou seja, quando ele calcular o Imposto de Renda a pagar irá abater do cálculo o valor total de Imposto a recuperar. Por este motivo ao contabilizarmos a Nota Fiscal precisamos registrar esse direito

O Lançamento contábil então será

Débito: Clientes R$98.500,00

Reconhecimento do valor a ser recebido a prazo, em 30 dias

Débito: IRRF a Recuperar R$1.500,00

Reconhecimento o imposto a ser recuperado (direito) no momento em que se calcular o Imposto a pagar

Crédito: Receita com Serviços R$100.000,00

Reconhecimento do valor total da receita, pois foi o valor contratado

Resposta correta, letra “d”

Assista também a videoaula

Clique aqui para a próxima questão

Você pode me encontrar também em outras redes sociais:

Youtube: https://www.youtube.com/mjcrabbit

Fan Page: https://www.facebook.com/profmariojorge.com.br

Instagram: https://www.instagram.com/profmariojorge

Sobre Prof. Mário Jorge

Professor universitário e de Pós Graduação em disciplinas de contabilidade. Consultor empresarial na área de controladoria. Instrutor da SOMA Cursos e Consultoria Ltda.

3 Comentários

  1. André Felipe

    Professor,

    Sobre o imposto, entendo que a empresa não tem a obrigação de lançar este “direito”. Pois como diz a legislação, a obrigação do pgto. fica a cargo do tomador do serviço e não ao prestador, assim não haverá a necessidade do lançamento do fato? aplica-se este apenas a empresas com tributação normal? e as empresas do SIMPLES?

    Eu poderia contabilizar na empresa tomadora do serviço desta forma?
    Lancto. da NF –
    D-serv. terceiros(resultado) ______________________R$100.000,00
    C-fornecedor_______________________________________R$98500,00
    C-IRRF a recolher__________________________________R$1500,00

    Pgto. da NF
    D-fornecedor_______________________________________R$ 98500,00
    C-caixa_______________________________________________

    Pgto do imposto
    D-IRRF a recolher____________________________________R$ 1500,00
    C-caixa________________________________________________R$ 1500,00

    Responder
    1. Mário Jorge

      André, bom dia

      1o.) Na empresa prestador de serviços, eu tenho que contabilizar o direito (IRRF A RECUPERAR) porque na verdade estou recebendo um valor menor (98.500,00) do que o efetivamente cobrado pelo serviço (100.000,00), e esse “direito” será compensado no momento de recolher o IPRJ, por isso preciso reconhecer o direito.

      2o) Realmente a obrigação do recolhimento é do tomador do serviço, e quanto a isso a sua sugestão de contabilização na empresa tomadora está correta.

      Espero ter esclarecido

      abçs
      prof. Mário Jorge

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *