• Sharebar
 

Provisões e Previsões são temas recorrentes nos bastidores de qualquer empresa, especialmente nas áreas envolvidas pela controladoria. Apesar da popularidade dos temas, há quem faça ainda confusão com o significado técnico de ambas. Vamos aqui tentar ajudar a dirimir as dúvidas, ou quem sabe desfazer a confusão.

Inicialmente já podemos afirmar que Provisões e Previsões, são critérios técnicos diferentes e aplicados em situações distintas, a saber:

PROVISÕES: São cálculos matemáticos feitos na maioria das vezes com embasamento histórico, e serve de base para se contabilizar uma variação patrimonial ocorrida, cujo valor exato ainda não conhecemos, ou seja, temos a certeza do acontecimento mas a incerteza do valor envolvido. Podemos aqui citar dois exemplos clássicos: Provisão para Férias e Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa. Esclarecendo:

Provisão de Férias: Calcula-se mensalmente 1/12 sobre o salário dos funcionários, acrescido de 1/3 relativo ao abono pecuniário, e os encargos inerentes. Esta contabilização se justifica pelo direito adquirido pelo funcionário a cada mês trabalhado. Em respeito aos princípios de Competência e Oportunidade, temos que efetuar a contabilização a cada mês em que o funcionário adquiri o direito, e não o valor total das férias no momento em que  do gozo de férias, pois assim estaríamos onerando um período com despesas que dizem respeito a outros períodos. A contabilização é feita por provisão, pois no momento em que se faz, não se tem o conhecimento do valor real a que o funcionário terá direito no momento de usufruir das férias, pois alguns fatores poderão alterar este valor, como por exemplo: Reajuste salarial; Faltas injustificadas e outros.

Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa: Aqui uma outra situação muito comum, característica de empresas que efetuam vendas a prazo. É comum e quase unânime a existência de perdas com clientes incobráveis, entre as empresas que efetuam vendas a prazo. O histórico de perdas com clientes incobráveis é fato suficiente para entendermos que ao vendermos a prazo, estamos correndo o risco eminente de parte desse valor não ser recebido no futuro. Baseado nisso, em respeito aos princípios da competência e da oportunidade, registramos as possíveis perdas, baseado na média percentual de perdas dos últimos três exercícios, através da contabilização de uma provisão, justamente pelo fato de que o valor é aproximado, baseado em estatística.

PREVISÕES: São também cálculos matemáticos, feitos com embasamento histórico ou não, de algo que se imagina que vai ainda acontecer, ou seja, é uma estimativa futura que poderá ou não acontecer. Resumindo, na previsão não temos certeza do acontecimento e tampouco do valor. As previsões normalmente são utilizadas para a elaboração de Orçamentos, onde os valores são projetados. Como exemplo podemos citar: Previsão de vendas; Previsão de produção entre outras.