EXAME DE SUFICIÊNCIA – CFC – 01/2018 – Solução da Questão 43 – Branca

(Q.43 – 01/18) Branca

Uma entidade apresentava em 31/12/2016 o seguinte Balanço Patrimonial:

Caixa 100.000 Capital Social 100.000

Durante o ano de 2017, aconteceram os seguintes fatos na entidade:

 Compra à vista de estoque por R$ 20.000.

  • Compra de moto para entregas por R$ 30.000. Metade do valor foi pago à vista e o restante será pago em 2018.
  • Pagamento do seguro da moto com vigência de dois anos, a partir de janeiro de 2017, no valor de R$ 4.800.
  • Os sócios integralizam capital social em dinheiro, no valor de R$ 18.000.
  • Contração de empréstimo bancário no valor de R$ 5.000.
  • Pagamento de juros sobre o empréstimo bancário no valor de R$ 250.
  • Empréstimo feito à empresa controlada no valor de R$ 35.000.
  • Venda de metade do estoque por R$ 40.000 para recebimento em 2018.
  • Reconhecimento de despesas diversas no valor de R$ 30.000 para pagamento de 2018.

 Com base na NBC TG 03 (R3) – Demonstrações dos Fluxos de Caixa, assinale a alternativa correta em relação à Demonstração dos Fluxos de Caixa da entidade em 31/12/2017, admitindo que ela siga os encorajamentos estabelecidos pela norma.

A) Atividade operacional consumiu R$ 20.000.

B) Atividade operacional consumiu R$ 24.800.

C) Atividade de investimento consumiu R$ 50.000.

D) Atividade de investimento consumiu R$ 54.800.

RESOLUÇÃO:

A primeira coisa que precisamos entender, é que na DFC só serão listadas as operações referentes a pagamentos e recebimentos, ou seja, somente movimentação em dinheiro. Aliado a isso, precisamos separar essas operações segundo a sua origem, a saber: Operacional, Investimento e Financiamento, segundo a determinação da NBC TG 03 (R3) – DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA, a saber:

(…)

Atividades operacionais

  1. O montante dos fluxos de caixa advindos das atividades operacionais é um indicador chave da extensão pela qual as operações da entidade têm gerado suficientes fluxos de caixa para amortizar empréstimos, manter a capacidade operacional da entidade, pagar dividendos e juros sobre o capital próprio e fazer novos investimentos sem recorrer a fontes externas de financiamento. As informações sobre os componentes específicos dos fluxos de caixa operacionais históricos são úteis, em conjunto com outras informações, na projeção de fluxos futuros de caixa operacionais.
  2. Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basicamente derivados das principais atividades geradoras de receita da entidade. Portanto, eles geralmente resultam de transações e de outros eventos que entram na apuração do lucro líquido ou prejuízo. Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são:
  • recebimentos de caixa pela venda de mercadorias e pela prestação de serviços;
  • recebimentos de caixa decorrentes de royalties, honorários, comissões e outras receitas;
  • pagamentos de caixa a fornecedores de mercadorias e serviços;
  • pagamentos de caixa a empregados ou por conta de empregados;
  • recebimentos e pagamentos de caixa por seguradora de prêmios e sinistros, anuidades e outros benefícios da apólice;
  • pagamentos ou restituição de caixa de impostos sobre a renda, a menos que possam ser especificamente identificados com as atividades de financiamento ou de investimento; e
  • recebimentos e pagamentos de caixa de contratos mantidos para negociação imediata ou disponíveis para venda futura.

Algumas transações, como a venda de item do imobilizado, podem resultar em ganho ou perda, que é incluído na apuração do lucro líquido ou prejuízo. Os fluxos de caixa relativos a tais transações são fluxos de caixa provenientes de atividades de investimento. Entretanto, pagamentos em caixa para a produção ou a aquisição de ativos mantidos para aluguel a terceiros que, em sequência, são vendidos, conforme descrito no item 68A da NBC TG 27 – Ativo Imobilizado, são fluxos de caixa advindos das atividades operacionais. Os recebimentos de aluguéis e das vendas subsequentes de tais ativos são também fluxos de caixa das atividades operacionais.

  1. A entidade pode manter títulos e empréstimos para fins de negociação imediata ou futura (dealing or trading purposes), os quais, no caso, são semelhantes a estoques adquiridos especificamente para revenda. Dessa forma, os fluxos de caixa advindos da compra e venda desses títulos são classificados como atividades operacionais. Da mesma forma, as antecipações de caixa e os empréstimos feitos por instituições financeiras são comumente classificados como atividades operacionais, uma vez que se referem à principal atividade geradora de receita dessas entidades.

 Atividades de investimento

  1. A divulgação em separado dos fluxos de caixa advindos das atividades de investimento é importante em função de tais fluxos de caixa representarem a extensão em que os dispêndios de recursos são feitos pela entidade com a finalidade de gerar lucros e fluxos de caixa no futuro. Somente desembolsos que resultam em ativo reconhecido nas demonstrações contábeis são passíveis de classificação como atividades de investimento. Exemplos de fluxos de caixa advindos das atividades de investimento são:
  • pagamentos em caixa para aquisição de ativo imobilizado, intangíveis e outros ativos de longo prazo. Esses pagamentos incluem aqueles relacionados aos custos de desenvolvimento ativados e aos ativos imobilizados de construção própria;
  • recebimentos de caixa resultantes da venda de ativo imobilizado, intangíveis e outros ativos de longo prazo;
  • pagamentos em caixa para aquisição de instrumentos patrimoniais ou instrumentos de dívida de outras entidades e participações societárias em joint ventures (exceto aqueles pagamentos referentes a títulos considerados como equivalentes de caixa ou aqueles mantidos para negociação imediata ou futura);
  • recebimentos de caixa provenientes da venda de instrumentos patrimoniais ou instrumentos de dívida de outras entidades e participações societárias em joint ventures (exceto aqueles recebimentos referentes aos títulos considerados como equivalentes de caixa e aqueles mantidos para negociação imediata ou futura);
  • adiantamentos em caixa e empréstimos feitos a terceiros (exceto aqueles adiantamentos e empréstimos feitos por instituição financeira);
  • recebimentos de caixa pela liquidação de adiantamentos ou amortização de empréstimos concedidos a terceiros (exceto aqueles adiantamentos e empréstimos de instituição financeira);
  • pagamentos em caixa por contratos futuros, a termo, de opção e swap, exceto quando tais contratos forem mantidos para negociação imediata ou futura, ou os pagamentos forem classificados como atividades de financiamento; e
  • recebimentos de caixa por contratos futuros, a termo, de opção e swap, exceto quando tais contratos forem mantidos para negociação imediata ou venda futura, ou os recebimentos forem classificados como atividades de financiamento.

Quando um contrato for contabilizado como proteção (hedge) de posição identificável, os fluxos de caixa do contrato devem ser classificados do mesmo modo como foram classificados os fluxos de caixa da posição que estiver sendo protegida.

 Atividades de financiamento

  1. A divulgação separada dos fluxos de caixa advindos das atividades de financiamento é importante por ser útil na predição de exigências de fluxos futuros de caixa por parte de fornecedores de capital à entidade. Exemplos de fluxos de caixa advindos das atividades de financiamento são:
  • caixa recebido pela emissão de ações ou outros instrumentos patrimoniais;
  • pagamentos em caixa a investidores para adquirir ou resgatar ações da entidade;
  • caixa recebido pela emissão de debêntures, empréstimos, notas promissórias, outros títulos de dívida, hipotecas e outros empréstimos de curto e longo prazos;
  • amortização de empréstimos e financiamentos; e
  • pagamentos em caixa pelo arrendatário para redução do passivo relativo a arrendamento mercantil financeiro.
· Compra à vista de estoque por R$ 20.000. Operacional
· Compra de moto para entregas por R$ 30.000. Metade do valor foi pago à vista e o restante será pago em 2018. Investimento
· Pagamento do seguro da moto com vigência de dois anos, a partir de janeiro de 2017, no valor de R$ 4.800. Operacional
· Os sócios integralizam capital social em dinheiro, no valor de R$ 18.000. Financiamento
· Contração de empréstimo bancário no valor de R$ 5.000. Financiamento
· Pagamento de juros sobre o empréstimo bancário no valor de R$ 250. Financiamento
· Empréstimo feito à empresa controlada no valor de R$ 35.000. Investimento
· Venda de metade do estoque por R$ 40.000 para recebimento em 2018. Não entra na DFC
· Reconhecimento de despesas diversas no valor de R$ 30.000 para pagamento de 2018. Não entra na DFC

Elaborando a DFC

1)      ATIVIDADES OPERACIONAIS  
Compra a vista de estoque (R$20.000,00)
Pagamento de seguro da moto (R$4.800,00)
FLUXO DE CAIXA DA ATIVIDADE OPERACIONAL (R$24.800,00)
2)      ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS
Compra de moto (R$15.000,00)
Empréstimo a controlada (R$35.000,00)
FLUXO DE CAIXA DA ATIVIDADE DE  INVESTIMENTOS (R$50.000,00)
3)      ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS  
Integralização de Capital R$18.000,00
Contratação de empréstimo R$5.000,00
Pagamento de juros sobre empréstimo (R$250,00)
FLUXO DE CAIXA DA ATIVIDADE DE  INVESTIMENTOS (R$22.750,00)
CAIXA LÍQUIDO DO PERÍODO (1+2+3) (R$97.550,00)

 

A PRINCÍPIO ESTA QUESTÃO TEM DUAS ALTERNATIVAS CORRETAS, a “B” e a “C”

QUESTÃO PASSÍVEL DE ANULAÇÃO

 

RESPOSTA CORRETA pelo gabarito

Atividade de investimento consumiu R$ 50.000

Sobre Prof. Mário Jorge

Professor universitário e de Pós Graduação em disciplinas de contabilidade. Consultor empresarial na área de controladoria. Instrutor da SOMA Cursos e Consultoria Ltda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *